segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Olhando pela janela. (Revendo minha Obra e Revisando texto de 21/01/2011)



Amo dançar. 
Ao dançar percebo por alguns minutos o mundo real ir ficando tão distante...
Me entrego ao ritmo, aos movimentos de um forma a quase esquecer da vida. 
Só retornando depois ao termino da série, e se o tempo favorecer vou ao mergulho sem compromisso me entregando ao mar sem reservas.
É como se a prática da dança  fosse o complemento da minha entrega, como se eu me tornasse plena quando tocada pelos ondas e acariciada pela água que em contraste com minha temperatura, vivo quase um êxtase.
e assim posso voltar a realidade estúpida que me cerca. ..
A realidade que me cerca é estúpida: seres se queixando sem motivos, desvalorização do trabalho dos outros, ignorância total e proposital por tudo que não seja interesse próprio.
 ma
Todavia,  minha vida prática de vida segue como diz o poeta:
"Tudo vale a pena se a alma não é pequena" e minha vida não é nem mais nem menos que de nenhum outro Ser, e ela vale muito à pena!
Catiaho Alc.