segunda-feira, 25 de julho de 2016

Revisando minha obra encontrei belos textos de 02/2011.Título: Fechando a Janela... desculpem...

Desculpem , 
eu mesma me desculpo,
mas  hoje não posso ficar com a janela aberta.
Meu coração doí, literalmente  doí, sei que é músculo, mas sou poeta.
Minha alma de  cinza se cobre, não é drama, é sentimento de abandono sem merecimento.
Fecho a janela e vou a vida, ponho meu salto alto, minha calça jeans, minha blusa com decote que me agrada.
Faço a maquiagem que esconde meu ar de tristeza. 
Fecho a janela e saio, mas ao voltar manterei fechada, só abrindo
se quem me causa  tal sentimento bater por fora, talvez até
jogar pedrinhas  para que eu saiba.
Ou mesmo me esperar dentro, já que tem e sempre terá a chave, 
tem sido assim pra juntos abrirmos a janela e olharmos o presente , 
o mar e a vida lá fora.
Caso isso não aconteça, escrevei aqui sim, mas a
manterei fechada, não quero  ver nada lá fora através  dessa janela que abri porque tinha  o que a quem ver através dela.
Se não tiver esperança e... se por acaso eu  não a tenha mais, talvez a lacre definitivamente e volte a escrever como sempre:
sentada no meu canto canto, só,
mas de janela fechada.
Não me doí mais que injustiça e ser punida sem merecimento.
Se erro assumo.
Se não erro, morro por dentro, por ser  tão explicitamente ingênua e transparente.
Não sou e nunca serei vítima,
mas  gente eu sou, e não aceito o que não me cabe....
Espero  de verdade pra reabrir a janela...
Me  arrumando enquanto aguardo, danço  

até pra  quem me deixa fechar a  janela que abri 
pra vermos a vida assim
 juntos...


Lulu Santos

Composição: Lulu Santos
Se existe alguém na linha
Se tem alguém no ar
Por favor, responda agora
Não me faça esperar
Há uma certa urgência
Alô, informação
Aqui sou eu sozinho
Do outro lado, não sei não sei
Instalei uma antena
E lancei um sinal
Nada no radar
Procuro no dial
Aviso aos navegantes
Tem mais alguém aí?
Só ouço o som da minha própria voz
A repetir
SOS solidão (4x)